Ógui Lourenço Mauri

Sou leonino. Nasci num 10 de agosto,
no mesmo dia em que veio ao mundo
o cantor Agepê (já falecido).
Minha "contagem
progressiva e sem volta"
já passou dos 60
(sessenta). Algumas figuras
bastante conhecidas
fazem aniversário no
mesmo dia em que acontece o meu.
Caso do ator Fábio Assunção,
da cantora Fafá de Belém e do
"sex-symbol" Antonio Banderas.
O grande escritor Jorge Amado,
que nos deixou em 06/08/2001,
nasceu num 10 de agosto,
30 anos à minha frente
(e aqui vale a distância
que nos separa no talento).
É bem provável que todas essas
"feras" apareçam no cenário
para compensar minha insignificância.
Sou natural de Irapuã, pacata cidade
nas proximidades de
São José do Rio Preto (SP),
mas resido em Catanduva,
na mesma região,
desde a adolescência e
com algumas saídas temporárias
por razões profissionais
(fui bancário e professor).
Gosto de Deus, acima de tudo;
de minha família, de meus amigos
de verdade e de meu país.
Sou "viciado" em leitura
(livros, jornais, revistas),
em escrever poesias e em
futebol (aqui, o Palmeiras).
Sinto-me feliz ao ajudar,
no anonimato, os necessitados.
Não gosto de pessoas falsas,
de exibicionistas e de mal-educados;
abomino a inveja, a maledicência
e o desrespeito às leis e aos
costumes sadios
consagrados na sociedade.


 

 


Award



 


Meu Livro de Visitas
 
Livro de Visitas


 





 



Prêmios Recebidos



 


Links

*

AVPB - Academia Virtual Poética do Brasil
AVSPE - Acad. Virtual Sala Poetas e Escritores
Sonhando com José Maciel
Sonhando com José Maciel - Cantinho Latino
Mundo Virtual de Betsy Calisto
Faria Canto Mágico & Sonhos
Amor em Verso e Prosa
Princesa Bibi
Família Borba Pinheiro
Yara Nazaré
Nadir A. D'Onofrio
Fragrância da Alma
Recanto e Encantos
Porto dos Sonhos & das Poesias
Lígia Tomarchio
Lupércio Mundim
Coração e Alma
Meus Momentos
Cochilando nas Estrelas
Grace Spiller
Simplesmente Beija Flor
Vida Transparente
Eda C. da Rocha
Fragmentos dos meus sonhos
Cenário de Sentimentos
Minha Casinha
Sou Poesia... Mary Trujillo
Blog Líterolegal Prisco
NinaAguamarina Home Page
Criando Sonhos
Alma Arte Poesia




 



 



 



Acadêmico Fundador
Ocupa a cadeira n. 27



Membro Efetivo



Venha fazer parte do grupo
"Doce Mistério".
É só clicar no selinho.



 







 



::Indique esse Blog

 



Canção da Vida
Ógui Lourenço Mauri
A vida é uma canção envolvente,
Cujos solfejos são a esperança;
As estrofes, os passos à frente;
O estribilho, a perseverança.
Trecho da poesia
de Ógui L. Mauri

My House on Web

Arquivo

02/08/2015 a 08/08/2015

22/03/2015 a 28/03/2015

01/02/2015 a 07/02/2015

18/01/2015 a 24/01/2015

11/01/2015 a 17/01/2015

28/12/2014 a 03/01/2015

07/12/2014 a 13/12/2014

23/11/2014 a 29/11/2014

17/08/2014 a 23/08/2014

27/07/2014 a 02/08/2014

20/07/2014 a 26/07/2014

13/07/2014 a 19/07/2014

09/09/2012 a 15/09/2012

12/02/2012 a 18/02/2012

08/01/2012 a 14/01/2012

14/08/2011 a 20/08/2011

16/01/2011 a 22/01/2011

25/07/2010 a 31/07/2010

21/03/2010 a 27/03/2010

13/12/2009 a 19/12/2009

09/08/2009 a 15/08/2009

29/03/2009 a 04/04/2009

11/01/2009 a 17/01/2009

04/01/2009 a 10/01/2009

28/12/2008 a 03/01/2009

23/11/2008 a 29/11/2008

12/10/2008 a 18/10/2008

24/08/2008 a 30/08/2008

13/07/2008 a 19/07/2008

15/06/2008 a 21/06/2008

18/05/2008 a 24/05/2008

13/04/2008 a 19/04/2008

16/03/2008 a 22/03/2008

17/02/2008 a 23/02/2008



 



My Way


 


**RECOMENDO**




 

 


 


 









 



 



Blog Criado por:
Roberta Viana - Sollua
 
Mantido por:
Art. by Mary Trujillo
 
(c) 2008
São Paulo - Brasil
Direitos Registrados



 





Créditos

 





 



 

Fecha os olhos
Ógui Lourenço Mauri

Fecha os olhos, joga a mente pro meu lado...
De olhos fechados, terás a percepção
(Que de olhos abertos não tens notado)
De que já tomei de vez teu coração.

Fecha os olhos, que eliminas a distância...
Assim, terás meu ser pertinho de ti.
Por milagre, sentirás minha fragrância
E os bons fluidos que te chegarão daqui.

Fecha os olhos, não vejas nada lá fora...
Concentra teus cinco sentidos em nós.
Pensa que estou aí pra não ir embora,
Ouve baixinho -- só pra ti -- minha voz...

Fecha os olhos, inventa nosso futuro...
Faz dele nossas vidas sem embaraços.
Enlace divino de um casal maduro,
Movido a impulsos só de beijos e abraços.

Fecha os olhos, sente a sublime junção...
De carícias, de prazer e muito suor.
Em nossa alcova de amor, tudo é paixão,
Realizando, enfim, nosso sonho maior.

Ógui Lourenço Mauri
Catanduva (SP), 06.02.2010


Respeitei os direitos autorais

(c) 2008
São Paulo - Brasil
Direitos Registrados

::Postado por Ógui Mauri ್ 21h23
::

 


Uma História de Amor
Ógui Lourenço Mauri


Nosso idílio escreve uma história de amor.
De princípio, de um meio e final feliz.
Começou faz tempo e mantém o fulgor,
Numa convivência de lindo matiz.

Parece que foi ontem a tal canção
Que acoplou nossas almas tão de repente.
Nossos corações se uniram, desde então,
Em linda história de amor sem precedente.

Hoje, te amo como da primeira vez.
Sinto o sangue ferver, forjo fantasias.
Pairo nas nuvens ao sabor de tua tez,
Que atiça meu ímpeto todos os dias.

És bálsamo que cura minhas feridas,
Tu pões brilho em meus olhos quando sorris.
Encarnas o tônico de nossas vidas,
De teus dogmas humanos, sou aprendiz.

Tudo que é meu é teu, sim!... E vice-versa!
Reciprocidade cabal, verdadeira...
Solidários quando a fase for adversa,
Vivemos a dois bem à nossa maneira.

Passado e presente nos impõem a proeza
De um futuro que será lindo e risonho.
Convicto, jamais me afastei da certeza
Da realização total de nosso sonho.

Eu sei que estamos juntos nesta existência
E creio retomar tuas mãos nas Canduras,
Nosso amor, sob respaldo da Providência,
Prosseguirá eternamente; nas Alturas.

Ógui Lourenço Mauri
Catanduva (SP), 23.12.2009


Respeite os direitos autorais

(c) 2008
São Paulo - Brasil
Direitos Registrados

::Postado por Ógui Mauri ್ 21h19
::

 

 Primavera, de novo!...
Ógui Lourenço Mauri

Finalmente, chegou a estação das flores.
Canta minh'alma, meu coração palpita!
A natureza me envolve, mais bonita,
Com seu perfume e nuances multicolores.

Sinto mais a emoção da vida ao redor...
Há um quê diferente... Coisas do amor!
A Primavera, reino do beija-flor,
Dá, aos amantes, uma atração maior.

Anseio estar mais com minha amada agora.
De mãos dadas, pelos bosques e jardins.
Colher pra ela violetas e jasmins,
Ao som dos pássaros, sob o olor da flora.

Nos três meses deste cenário florido,
Quero estar com ela no banco da praça,
Apreciar seu jeitinho cheio de graça;
Comigo, a trocar rimas ao pé do ouvido.

Primavera à noite... No apogeu, o amor!
Próximo da fonte luminosa, ao léu.
Ao perfume das flores... E a lua no céu;
A comunhão de desejos no esplendor...


Catanduva (SP), 21/09/2009

Respeite os direitos autorais

(c) 2008
São Paulo - Brasil
Direitos Registrados

::Postado por Ógui Mauri ್ 21h12
::

 


Espera-me!
Ógui Lourenço Mauri


Por mim, eu estaria a teu lado agora,
Dando matizes lindos a nosso amor.
Tu no teu papel de mulher e senhora
E eu, afinal, teu homem e protetor.

Quero, sob o mesmo teto, no aconchego,
Que desfrutemos, "in loco", do ombro amigo;
Da ansiedade atual convertida em sossego;
Da realização cabal de um sonho antigo...

Espera-me! Somos reféns da distância.
São provações que a sina nos reservou...
Quiçá possamos ter, ainda em abundância,
O que até hoje o fadário nos negou.

Vives diuturnamente em meu pensamento
Mas quero fazer-te viver em meus braços.
Espera-me! Que eu também já não aguento
Toda esta distância com seus embaraços.

Espera-me!... Que nosso amor prevaleça!
Coloca nossos fluidos em comunhão...
Como vou tirar-te de minha cabeça
Se, pelos Céus, não me sais do coração?!

Catanduva (SP), 10.02.2009

Ógui Lourenço Mauri

Respeite os direitos autorais

(c) 2008
São Paulo - Brasil
Direitos Registrados

::Postado por Ógui Mauri ್ 21h06
::

 

Se eu tivesse um coração
Ógui Lourenço Mauri

Se eu tivesse um coração igual ao teu,
Terias o lindo amor que tu dás pra mim.
Eu sei que seríamos felizes, enfim,
Com a reciprocidade no apogeu.

Se meu peito portasse teu coração,
Teus sonhos por inteiro eu realizaria.
Amor, sei que faríamos todos os dias,
Seria, de corpo e alma, nossa comunhão.

Ah, se meu coração fosse o teu, mais forte!...
A ponto de me livrar deste pedágio
Que me cobra, rumo à felicidade, ágio,
Estaríamos de mãos dadas até a morte!...

Meu coração enfrenta a dificuldade
De ser um detento das prisões da vida;
E por mais que procure achar a saída,
Eu não alcancei ainda essa liberdade.

Ah, meu Deus!... Caso eu tivesse um coração
Que rasgasse o figurino e desse um jeito...
Atropelaríamos qualquer preconceito,
Sacramentando de vez nossa união.

Catanduva (SP), 20.01.2007

Respeite os direitos autorais

(c) 2008
São Paulo - Brasil
Direitos Registrados

::Postado por Ógui Mauri ್ 20h59
::