Ógui Lourenço Mauri

Sou leonino. Nasci num 10 de agosto,
no mesmo dia em que veio ao mundo
o cantor Agepê (já falecido).
Minha "contagem
progressiva e sem volta"
já passou dos 60
(sessenta). Algumas figuras
bastante conhecidas
fazem aniversário no
mesmo dia em que acontece o meu.
Caso do ator Fábio Assunção,
da cantora Fafá de Belém e do
"sex-symbol" Antonio Banderas.
O grande escritor Jorge Amado,
que nos deixou em 06/08/2001,
nasceu num 10 de agosto,
30 anos à minha frente
(e aqui vale a distância
que nos separa no talento).
É bem provável que todas essas
"feras" apareçam no cenário
para compensar minha insignificância.
Sou natural de Irapuã, pacata cidade
nas proximidades de
São José do Rio Preto (SP),
mas resido em Catanduva,
na mesma região,
desde a adolescência e
com algumas saídas temporárias
por razões profissionais
(fui bancário e professor).
Gosto de Deus, acima de tudo;
de minha família, de meus amigos
de verdade e de meu país.
Sou "viciado" em leitura
(livros, jornais, revistas),
em escrever poesias e em
futebol (aqui, o Palmeiras).
Sinto-me feliz ao ajudar,
no anonimato, os necessitados.
Não gosto de pessoas falsas,
de exibicionistas e de mal-educados;
abomino a inveja, a maledicência
e o desrespeito às leis e aos
costumes sadios
consagrados na sociedade.


 

 


Award



 


Meu Livro de Visitas
 
Livro de Visitas


 





 



Prêmios Recebidos



 


Links

*

AVPB - Academia Virtual Poética do Brasil
AVSPE - Acad. Virtual Sala Poetas e Escritores
Sonhando com José Maciel
Sonhando com José Maciel - Cantinho Latino
Mundo Virtual de Betsy Calisto
Faria Canto Mágico & Sonhos
Amor em Verso e Prosa
Princesa Bibi
Família Borba Pinheiro
Yara Nazaré
Nadir A. D'Onofrio
Fragrância da Alma
Recanto e Encantos
Porto dos Sonhos & das Poesias
Lígia Tomarchio
Lupércio Mundim
Coração e Alma
Meus Momentos
Cochilando nas Estrelas
Grace Spiller
Simplesmente Beija Flor
Vida Transparente
Eda C. da Rocha
Fragmentos dos meus sonhos
Cenário de Sentimentos
Minha Casinha
Sou Poesia... Mary Trujillo
Blog Líterolegal Prisco
NinaAguamarina Home Page
Criando Sonhos
Alma Arte Poesia




 



 



 



Acadêmico Fundador
Ocupa a cadeira n. 27



Membro Efetivo



Venha fazer parte do grupo
"Doce Mistério".
É só clicar no selinho.



 







 



::Indique esse Blog

 



Canção da Vida
Ógui Lourenço Mauri
A vida é uma canção envolvente,
Cujos solfejos são a esperança;
As estrofes, os passos à frente;
O estribilho, a perseverança.
Trecho da poesia
de Ógui L. Mauri

My House on Web

Arquivo

02/08/2015 a 08/08/2015

22/03/2015 a 28/03/2015

01/02/2015 a 07/02/2015

18/01/2015 a 24/01/2015

11/01/2015 a 17/01/2015

28/12/2014 a 03/01/2015

07/12/2014 a 13/12/2014

23/11/2014 a 29/11/2014

17/08/2014 a 23/08/2014

27/07/2014 a 02/08/2014

20/07/2014 a 26/07/2014

13/07/2014 a 19/07/2014

09/09/2012 a 15/09/2012

12/02/2012 a 18/02/2012

08/01/2012 a 14/01/2012

14/08/2011 a 20/08/2011

16/01/2011 a 22/01/2011

25/07/2010 a 31/07/2010

21/03/2010 a 27/03/2010

13/12/2009 a 19/12/2009

09/08/2009 a 15/08/2009

29/03/2009 a 04/04/2009

11/01/2009 a 17/01/2009

04/01/2009 a 10/01/2009

28/12/2008 a 03/01/2009

23/11/2008 a 29/11/2008

12/10/2008 a 18/10/2008

24/08/2008 a 30/08/2008

13/07/2008 a 19/07/2008

15/06/2008 a 21/06/2008

18/05/2008 a 24/05/2008

13/04/2008 a 19/04/2008

16/03/2008 a 22/03/2008

17/02/2008 a 23/02/2008



 



My Way


 


**RECOMENDO**




 

 


 


 









 



 



Blog Criado por:
Roberta Viana - Sollua
 
Mantido por:
Art. by Mary Trujillo
 
(c) 2008
São Paulo - Brasil
Direitos Registrados



 





Créditos

 





 



 

Natal a Dois
Ógui Lourenço Mauri

Uma suíte linda, estilo colonial...
Decoração tocante, em sublime ambiente.
Cama bem grande, das que sobram pra gente,
Aninhando nossa noite de Natal.

No teto, lustre de lâmpadas austríacas.
Duas amplas janelas de belas cortinas.
Mesinha, cadeiras e mobílias finas,
Entre quatro paredes afrodisíacas.

Papai Noel, o senhor é tão bonzinho!
Contemplou-nos com algo bem singular...
Natal de mútuos presentes para amar.
Noite de paz, prazer e muito carinho!

Nada a perturbar nosso momento a dois.
Nem o povo nas ruas e os rojões.
Ouvimos o pulsar de dois corações
E tudo o mais nós deixamos pra depois.

Tu és meu presente de Papai Noel,
Um longo sonho que vira realidade.
Somos almas gêmeas com a faculdade
De ter no Natal nossa lua de mel.

Ógui Lourenço Mauri
Catanduva (SP), 24/12/2010.

Respeite os direitos autorais

(c) 2008
São Paulo - Brasil
Direitos Registrados

::Postado por Ógui Mauri ್ 22h29
::

 

Solitários Passos
Ógui Lourenço Mauri

Para mim, és agasalho das Alturas,
Que me chegou à metade do caminho.
Contigo, sei que não estarei sozinho,
Face à cumplicidade nas horas duras.

Com teus olhos, reergueste minha autoestima,
A mando dEle, na raia tu entraste.
De minha vida, foste tu o guindaste
Que, por Deus, fez eu dar a volta por cima.

Estar só, hoje não passa de lembrança.
Meus solitários passos foram de vez.
No mar bravio, em que o tempo se refez.
Depois da tempestade, veio a bonança.

Foste o bálsamo para minha ferida,
Que surgira de meus passos solitários.
Tu trouxeste os ingredientes necessários
Ao nosso amor, em retomada de vida.

Sinto mais um anjo do que uma mulher,
Em teu aconchego, que igual nunca vi.
Dos solitários passos antes de ti,
Não tenho saudade, um tiquinho sequer...

Ógui Lourenço Mauri
Catanduva (SP), 20/10/2010.

Respeite os direitos autorais

(c) 2008
São Paulo - Brasil
Direitos Registrados

::Postado por Ógui Mauri ್ 22h25
::

 

...E o dilema se foi!
Ógui Lourenço Mauri

Como é gostoso relembrar tudo agora!
Do tempo em que eu estava na escuridão.
Dos momentos de total indecisão,
De continuar infeliz ou ir embora...

Lembro-me, sim; foi tudo tão de repente.
Eu percorria a senda do sofrimento...
Até que, por Deus, em um certo momento,
Ao acaso, nós nos vimos frente a frente.

"Um encontro já escrito nas estrelas",
Talvez assim nos descrevesse um poeta,
Quiçá a maneira mais linda e correta...
Palavras-relíquia; não quero esquecê-las!

Fitamo-nos e vi a luz novamente,
Dei meia-volta e me pus em teu caminho.
Assim, eu nunca mais caminhei sozinho,
Livre das trevas definitivamente...

Tu és quem me desvia dos embaraços.
Cada vez mais, tu iluminas minha vida.
Não sei se tens a recíproca guarida,
Mas sei que és o combustível de meus passos.

Nós estaremos juntos até o fim.
De mãos dadas, curtindo amor de verdade.
Foi-se o dilema, veio a felicidade,
Porque bem a tempo chegaste pra mim.


Ógui Lourenço Mauri
Catanduva (SP), 10/agosto/2010

Respeite os direitos autorais

(c) 2008
São Paulo - Brasil
Direitos Registrados

::Postado por Ógui Mauri ್ 22h20
::

 


Doce Saudade
Ógui Lourenço Mauri

Quando leio teus versos tão sensuais,
Com pitadas de uma fêmea provocante,
Sou tomado do impulso de querer mais,
Ganas de eu estar contigo a todo instante.

Uma doce saudade me vem à mente,
Recordações fazem meu sangue ferver.
Frustrado, vejo que não estás presente
E que tudo que eu quero não pode ser.

Vem-me à lembrança nossa alcova de amor,
De quando nos encontramos, afinal.
Paixões incontidas no seu esplendor,
Enlevos a dois, numa entrega total.

Doce saudade de teu lindo sorriso,
De teus cabelos sedosos, cor de mel;
Detalhes que afetam meu frágil juízo,
Que não suporta esta distância cruel.

Hoje, sou dependente de tua poesia.
Ela é a fonte desta doce saudade.
Sentimento que se aflora a cada dia,
Num sonho só, preso na felicidade.

Ógui Lourenço Mauri
Catanduva (SP), 03 de julho de 2010.

Respeite os direitos autorais

(c) 2008
São Paulo - Brasil
Direitos Registrados

::Postado por Ógui Mauri ್ 22h16
::

 


Gestos e Palavras
Ó
gui Lourenço Mauri

Gesto é um termo de duas definições:
Dá, a primeira, ideia de movimento,
Enquanto a segunda tem por fundamento
O brilho e enlevo de certas ações.

Temos na palavra a exteriorização
Do que nosso íntimo deixa vazar.
A palavra é instrumento singular,
Algo refratário ou de aproximação.

Teus gestos e palavras lembram poesias
Exclusivas das aptidões femininas.
Parecem versos de rimas repentinas,
Que atiçam meus desejos e fantasias.

Sabes usar esses dons com maestria,
És mulher inteligente e resoluta.
Em todas as batalhas, ganhas a luta;
No amor e nas lides de todos os dias.

Sou vidrado em tua poesia e lucidez...
No visco de teus traquejos, me prendi;
Teus gestos humanos, eu sempre aplaudi
E às tuas palavras, entreguei-me de vez.

Ógui Lourenço Mauri
Catanduva (SP), 14/05/2010

Respeite os direitos autorais

(c) 2008
São Paulo - Brasil
Direitos Registrados

::Postado por Ógui Mauri ್ 22h06
::